INSPIRAÇÃO SEMANAL #47 – Fotografia

 Na Categoria Inspiração

Hoje comemora-se o dia mundial da Fotografia e a Academia da Marca presta reverência a esta arte que revolucionou a comunicação e fundamentou a publicidade.

Ao longo da História contemporânea a fotografia foi elevada ao status de “representação fiel da realidade” justamente por sua capacidade de “congelar” ou recortar” um pedaço da vida. Neste contexto, a máquina fotográfica surge com uma extensão da visão humana, eternizando momentos.

O poder que a imagem assume no contexto social moderno é enorme! Se no início era utilizada como apoio ao texto impresso, hoje chega a ser o centro da comunicação visual. Hoje, a comunicação é potencializada por meio da união imagem mais texto escrito, muitas vezes o texto é que passa a ter o papel de ilustrar a imagem, invertendo desta forma a tentativa original de explicar o texto por meio da imagem.

Para mostrar a importância da Fotografia, seguem algumas imagens e um pouco da história de Robert Capa, o fotógrafo que mudou o rumo da imagem no mundo.

 


Nascido em Budapeste em outubro de 1913, Endre Erno Giredmann, conhecido como Robert Capa, foi um dos mais importantes fotógrafos do século 20. Entre as décadas de 1930 e 1950, esteve mais perto dos fatos do que qualquer fotojornalista havia chegado até então. No front das piores guerras, mesclava três de suas mais importantes características: a coragem, o senso apurado de composição e o olhar humano. Nas palavras de seu amigo John Steinbeck, “Capa mostrava o horror de todo um povo no rosto de uma criança”.
 

De 1936 a 1939, fotografou os horrores da Guerra Civil Espanhola, ao lado de Gerda, sua companheira e também fotógrafa, e David Seymour. Essa cobertura o tornou famoso mundialmente, com destaque para “The Falling Soldier”, como ficou conhecida sua imagem de um antifranquista no exato momento em que leva um tiro. A fotografia teve repercussão internacional quase instantânea e se tornou um poderoso símbolo da guerra. Além disso, foi fruto de especulação: muitos, como o jornalista Phillip Knightley, afirmavam se tratar de uma fraude. Nenhum conseguiu abalar a reputação do fotógrafo.
 

Quando Gerta foi morta na Espanha, em 1938, Capa viajou para a China e emigrou para Nova Iorque um ano depois. Como correspondente americano, fotografou a Segunda Guerra Mundial em Londres, Itália e Norte da África, além da Batalha de Normandia. Este episódio deu origem a “The Magnificent Eleven”, um de seus mais famosos ensaios. Na invasão dos Aliados às praias francesas, Capa acompanhou a segunda onda de tropas americanas, que enfrentou grande resistência dos soldados alemães. O fotógrafo tirou 106 fotos e muitas delas foram destruídas em um acidente já no laboratório, em Londres.
 

Matérias

Deixe uma resposta